Audiência debateu Plano de Saneamento Básico de Bonito

Plano inclui abastecimento de água, esgotamento sanitário e drenagem, entre outros pontos.

27/04/2018 08h31 - Por: Assessoria de Comunicação

 

A Prefeitura Municipal de Bonito, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, realizou na noite de quarta-feira (25), com início às 19h30, uma Audiência Pública para discutir o Plano Municipal de Saneamento Básico (PMSB), que está sendo elaborado.

Na ocasião, a administração municipal, juntamente com o Cidema (Consórcio Intermunicipal para o Desenvolvimento Integrado das Bacias dos Rios Miranda e Apa), apresentou o plano - que está se encontra na fase de diagnóstico - para que seja discutido com a população.

Ele consiste no planejamento de ações relacionadas ao abastecimento de água potável, esgotamento sanitário, limpeza urbana, coleta e destinação do lixo, drenagem das águas de chuva e controle de enchentes com prazo de 20 anos, revisados a cada quatro anos.

INFORMAÇÕES DA COORDENADORA DA ELABORAÇÃO DO PLANO

Segundo a coordenadora na Elaboração do Plano, engenheira Sanitarista e Ambiental Mariel Brescovit de Oliveira, o objetivo é apresentar o diagnóstico da situação local, no que diz respeito ao abastecimento de água, esgotamento sanitário, drenagem das águas pluviais e limpeza urbana e resíduos sólidos.

"Durante a audiência, espera-se que neste primeiro evento setorial seja transmitido para a população um conhecimento mínimo sobre o Plano de Saneamento Básico e suas vertentes; esclarecendo, também, como o projeto será executado e coletando sua percepção e opinião sobre o assunto, lembrando que neta primeira fase de coleta de dados, para podermos executar o prognostico e propor nos programas , projetos e ações, juntamente com o plano de execução, onde direciona o município na questão de haver investimento, tanto na área urbana quanto na rural", explica a coordenadora.

Segundo ela, o município é assistido com 99 % de abastecimento de água, mas é preciso melhorar a qualidade da água.Afirmou ainda que o esgotamento sanitário está sendo 99% coletado e tratado e que, quanto à drenagem, ela existe na proporção de apenas 26,31% da área asfaltada.

Durante a audiência, a população pôde tirar as dúvidas, sugerir ações e obter informações a respeito do planejamento no município. "A participação popular tem o direito de mudar algum plano. Se a maior parte das pessoas achar que precisa alterar um dos programas e ações, que serão pauta da próxima audiência, nós vamos mudar", afirma a coordenadora.

Depois da audiência de leitura do diagnóstico da situação do saneamento básico na cidade, que também servirá para ouvir sugestões da população, o prognóstico sobre os planos da ação da prefeitura deve ser apresentado à comunidade para discussão, em outra audiência pública.

Para a coordenadora, além da óbvia necessidade de coletar 100% do esgoto que deve emergir entre as sugestões de moradores e comerciantes nas audiências, espera-se também ouvir reivindicações relativas às constantes interrupções de fornecimento de água, particularmente, em feriadões e no verão, onde a população flutuante é mais presente.

Nos dois casos, as soluções dependem do plano municipal de saneamento básico, que, atualmente, é condição para a prefeitura obter recursos da União e financiamentos de órgãos e entidades federais para obras no setor.