COMTUR quer modernizar o Turismo Ambiental em Bonito.

Entidade deverá ouvir e debater com todos os segmentos.

08/06/2017 14h31 - Por: Assessoria de Comunicação

O Conselho Municipal de Turismo de Bonito (COMTUR), composto por representantes de diversos segmentos ligados às atividades turísticas do município, realizou na tarde desta quarta-feira (7) mais uma reunião (a 8ª do ano), tendo como pauta central "A Modernização do Sistema Operacional Turístico ambiental".

O COMTUR tem como missão fomentar e normatizar a atividade turística local de forma integrada e sustentável, visando o desenvolvimento econômico e social de toda a comunidade, através da excelência na qualidade dos serviços.

De acordo com o presidente do Conselho, Cícero Peralta, a reunião desta quarta teve caráter histórico por representar uma "retomada" na determinação da entidade em reorganizar do turismo local, que se encontra estagnado, colocando-o dentro de patamares atuais, mais desenvolvidos.

"Após mais de 20 anos de estrada, o turismo de Bonito precisa parar para refletir. Precisamos localizar e resolver os nossos erros e os nossos problemas, incorporando novas práticas capazes de melhorar efetivamente a qualidade dos serviços oferecidos no setor", afirmou.

O foco da reunião, que será mantido para as demais reuniões previstas para o ano, são as questões consideradas estruturais, aquelas capazes de promover mudanças qualitativas de curto, médio e longo prazo no funcionamento geral do turismo no município.

Dentro desse objetivo serão convidados, para cada reunião, representantes de diferentes setores do turismo local. Ontem foi a vez dos guias de turismo e monitores ambientais e o próximo segmento a ser convidado, de acordo com o presidente, será o de "profissionais de marketing".

Entre os problemas e sugestões apresentados pelo presidente da AGTB (Associação de Guias de Turismo de Bonito) e conselheiro, Pedro Hardt de Araújo, está a necessidade de debater a prestação de serviços dos guias locais no Parque Nacional da Serra da Bodoquena; a falta de preparo de pessoas ique comercializam os passeios em agências turísticas; a necessidade do recadastramento dos guias de turismo; a possibilidade do próprio guia negociar a sua remuneração e também a padronização do sistema de pagamento, com a possibilidade da inclusão do voucher no sistema bancário.

Presidente do COMTUR, Cícero Peralta.

Outros pontos abordados dizem respeito à necessidade da realização de cursos para os monitores ambientais (que na verdade atuam como guia em determinadas atividades); a revogação da portaria que proíbe o guia de tirar e comercializar fotos na Gruta do Lago Azul e também a padronização do tempo de ausência máximo para que o guia possa voltar a trabalhar em determinado atrativo.

Foram relatadas também na ocasião, por guias e monitores, as principais reclamações dos turistas, com especial destaque para os preços altos, particularmente dos transportes, além da má qualidade e condições, inclusive sanitárias, da comida em determinados passeios. Outro assunto objeto de preocupação foi a importância de combater eventuais casos de assédio sexual envolvendo guias e monitores.

De acordo com o conselheiro e secretário municipal de Turismo, Indústria e Comércio (SECTUR), Augusto Mariano, existe efetivamente a necessidade de recadastramento dos guias, bem como a de cadastrar os monitores (não existe cadastro de monitores) e qualificá-los, o que será feito pela SECTUR. Nesse sentido, ressaltou que o prefeito incumbiu à secretaria e ao COMTUR a missão de resgatar a excelência do turismo no município, delegando-lhes para isso a autonomia necessária.

"Apesar dos problemas que temos ainda somos referência nacional para o ecoturismo e constantemente recebemos observadores e missões oficiais de municípios e Estados, que querem aprender com a prática que temos", afirmou Augusto, ressaltando que o maior prejuízo decorre da prática de "burlar o sistema".

Ilustrando a sua afirmação o secretário lembrou sobre a importância da Nota Fiscal Eletrônica, bem como de um controle efetivo sobre as reservas e a comercialização dos vouchers da Gruta do Lago Azul, impedindo manobras que gerem desigualdades, prejuízos e bloqueio do sistema.

Segundo conselheiro e procurador-jurídico da prefeitura, José Anezi de Oliveira, é de suma importância que os guias e monitores tenham efetivo compromisso com a preservação ambiental, relatando aos órgãos competentes eventuais irregularidades, como casos de superlotação.

O conselheiro revelou ainda a sua preocupação com a liberação de passeios de bote rio acima, que vê como prejudicial ao ecossistema, manifestando-se favorável a uma fiscalização mais ativa e constante por parte das instituições responsáveis, principalmente no período da alta temporada, de modo a coibir qualquer ação ilegal.

Encerrando a reunião o presidente do COMTUR, Cícero Peralta, classificou o encontro como importante e produtivo, reafirmando a importância da participação de todos os segmentos nos debates sobre o tema central em foco, que é a modernização do turismo de Bonito.