DEMTRAT divulga valor das multas de trânsito de 2018

Valor arrecadado deve ser aplicado - exclusivamente - em sinalização, engenharia de tráfego, de campo, policiamento, fiscalização e educação de trânsito.

08/01/2019 10h59 - Por: Assessoria de Comunicação

 
Informações são referentes às multas arrecadadas e valores repassados ao FUNSET (Fundo Nacional de Segurança e Educação no Trânsito), em 2018.Informações são referentes às multas arrecadadas e valores repassados ao FUNSET (Fundo Nacional de Segurança e Educação no Trânsito), em 2018.

O DEMTRAT (Departamento Municipal de Transporte e Trânsito de Bonito) divulgou nesta terça-feira - dia 8 de janeiro - informações referentes aos valores das multas arrecadadas, despesas e valores repassados ao FUNSET (Fundo Nacional de Segurança e Educação no Trânsito), referentes ao ano de 2018.

A medida atende pedido do CETRAN - Conselho Estadual de Trânsito; o relatório o artigo 320 do CTB (Código Brasileiro de Trânsito), bem como solicitações do DENATRAM (Departamento Nacional de Trânsito) e do Ministério das Cidades, que obrigam o DEMTRAT a divulgar anualmente em site oficial as receitas recebidas pelo Departamento Municipal de Transporte e Trãnsito, informando ainda onde estão sendo aplicadas os valores.

CONFIRA:

Valor da arrecadação de multas referentes ao ano de 2018 - R$ 105.604,52 Obs: já descontado o valor referente ao FUNSET, que é repassado automaticamente pelo DETRAN.

Saldo referente ao ano de 2017 - R$ 52.162,17

Rendimento bancário - R$ 1.700,02

PARTE DO VALOR ARRECADADO FOI GASTO COM AS SEGUINTES DESPESAS:

Sinalização viária (placas de sinalização) - R$ 27.222,15

Equipamentos para Educação no Trânsito (Divisão de Educação) - R$ 6.296,85

Jari - Junta Administrativa de Recursos de Infração - R$ 357,35

Despesa bancária - R$ 9,70

TOTAL DAS DESPESAS PAGAS - R$ 33.895,75

SALDO EM CAIXA REFERENTE AO ANO DE 2018 - R$ 125.697,58

De acordo com o diretor do DEMTRAT, Paulo Xavier, o artigo 320 do Código de Trânsito Brasileiro (Capítulo XX, Disposições Finais e Transitórias) determina que a receita arrecadada com a cobrança das multas de trânsito deverá ser aplicada - EXCLUSIVAMENTE - em sinalização, engenharia de tráfego, de campo, policitamento, fiscalização e educação de trânsito.