No próximo dia 13 de julho o Estatuto da Criança e do Adolescente completará 30 anos de existência

08/07/2020 10h55 – Por: Conselho Tutelar de Bonito

O crescente reconhecimento das injustiças cometidas contra a infância, bem como as situações de violação de direitos vivenciados por crianças e adolescentes, despertou na sociedade a necessidade de se garantir a proteção integral da infância e da Juventude.

Dentre os avanços podemos citar com mais ênfase a promulgação do Estatuto da Criança e do Adolescente e a criação do Conselho Tutelar, um órgão permanente e autônomo, não jurisdicional, encarregado pela sociedade de zelar pelo cumprimento dos direitos da criança e do adolescente.

Mesmo com todo o avanço obtido nos últimos anos, resultado do trabalho conjunto entre Estado e sociedade civil para garantir esses direitos, há ainda um longo caminho a ser percorrido para que atinja com plenitude a proteção integral à população infantojuvenil. E ela só será alcançada através de uma ação efetiva entre família, sociedade e estado.

No próximo dia 13 de julho o Estatuto da Criança e do Adolescente completará 30 anos de existência. O ECA foi um marco para infância do país, pois possibilitou que crianças e adolescentes fossem reconhecidos como sujeitos com direitos.

Comemorar os 30 anos do Estatuto da Criança e do Adolescente significa reconhecer a importância que ele teve nesse processo de evolução de uma visão limitada da infância marcada pelo Código de Menores a uma visão ampliada da população infantojuvenil como sujeito em desenvolvimento e que faz parte de uma sociedade democrática.

Uma sociedade humana é aquela que protege e zela pelo bem-estar de crianças e adolescentes, e que une forças ao estado e a família para lutar pela efetivação de políticas públicas que proporcionem pleno desenvolvimento a esses que são a esperança de uma nação mais justa. Faça a sua parte e junte-se a nós nessa causa tão nobre que é a luta pela proteção integral da população infantojuvenil. Conheça o Estatuto da Criança e do Adolescente: ECA 30 anos!

Linha do tempo dos direitos da criança e do adolescente:

• 1726: crianças são abandonadas para caridade nas “Rodas dos Expostos.”.

• 1890: Código Criminal da República determina penalização de crianças entre 9 e 14 anos.

• 1919: primeira Convenção da OIT.

• 1923: é criado o primeiro juizado de menores no Brasil

• 1924: aprovada a Declaração de Genebra. Primeiro documento internacional sobre os direitos da criança.

• 1926: caso Bernardino – menino é violentado na prisão.

• 1927: é promulgado no Brasil o Código de Menores.

• 1930: proteção de crianças em trabalho forçado.

• 1942: é criado o Serviço de Assistência a Menores (SAM).

• 1946: criação do UNICEF.

• 1948: é aprovada a Declaração Universal dos Direitos Humanos que aumenta os direitos à população infantil.

• 1964: criada a FUNABEM

• 1974: a Lei 5.274 determina que a idade mínima para aprendizes volte a ser 14 anos, como no Decreto 1943.

• 1979: é aprovado o 2º Código de Menores.

• 1988: Brasil proíbe o trabalho realizado por pessoas com menos de 14 anos. Adolescentes com menos de 18 anos não podem realizar trabalho noturno, perigoso e insalubre.

• 1990: nasce o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

• 1992: criação do CONANDA.

• 1995: ocorre a 1ª Conferência Nacional dos Direitos da Criança.

• 1996: é criado o Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI).

• 2000: é regulamentada a Lei do Aprendiz.

• 2006: CONANDA assina Resolução 113.

• 2010: ocorre a 2ª Conferência Global sobre Trabalho Infantil.

• 2015: eleições para o Conselho Tutelar acontecem em todo o Brasil.

ECA 30 ANOS: acompanhe a evolução dos direitos da criança e do adolescente durante este período

ECA 30 ANOS: acompanhe a evolução dos direitos da criança e do adolescente durante este período

Comentários do Facebook